Companheiros

Lucy .. Tecnologia do Blogger.

Postagens populares

"Meu espírito dorme em algum lugar frio até que você o encontre e o leve de volta pra casa"
sábado, 20 de setembro de 2014

O Despertar


Quanto tempo estivera em sono profundo? Não sabia dizer, mas Lucy Darkfury virá que já era chegada a hora de sair do seu repouso, há muito tempo fechar-se-á para a humanidade devido a varias circunstancias e acontecimentos, mexericos, aborrecimentos e as piores traições... já havia vivido bastante para ter de se aporrinhar com pessoas baixas e pequenas ,então deu-se o direito de recolher-se e dormir o fim da sua eternidade,simplesmente assim ,alimentar-se e deitará em seu caixão , protegida de tudo e todos e ficará em sono profundo, não sabia dizer ao certo se fora dias anos, meses ou décadas, só permitir-se ficar ali quieta.

Sons e lembranças sempre estiveram presentes em seu sono, ora profundo, ora leve nem mesmo a fome lhe incomodava, até que num lampejo de lembranças, seu coração morto apertará de saudades de um único lugar apenas, mas de conhecidos amigos queridos e cheiros... Principalmente do lugar, sim ele lhe era querido demais, tranquilo e seguro.

E esse lampejo a despertou querendo intensamente rever seu lugar e ergueu-se de seu sono que até então seria eterno, iria voltar para sua casa.

Na primeira noite sairá para caçar, pois não sabia como seria sua viagem e espantou-se com o que vira:
O mundo estava estranho e muito mudado, mas será que tudo estava diferente?

Alimentar-se não fora difícil, pois o rebanho (como chamava os humanos) continuava o mesmo e mais tolo ainda, baixando sempre a guarda e não atendendo ao instinto de sobrevivência ao ver uma caçadora apenas, viam o que desejavam ver: uma fêmea atraente fingindo fragilidade.
Então após alimentar-se organizou sua longa viagem, mandando uma carniçal na frente para averiguar como estava aquele lugar. mas as noticias não foram animadoras ,ele também havia mudado,mesmo assim decidirá seguir viagem.

E foi com imensa alegria que conseguiria atravessar o véu e ver com seus próprios olhos rasos de lagrimas de sangue, que sim ele estava mudado, mas fora uma mudança para melhor, suas lagrimas correram livres pela face, ao descobrir muitos dos seus amigos de eras passadas estavam ali, protegidos, nos seus refugis seguindo suas vidas, os Anciões a receberam, com carinho, e as amizade de antes na verdade nada havia mudado sua carniçal não conseguia entender isso, mesmo sabendo que uma caçadora das sombras estava de volta.

Após as apresentações e reapresentações, Lucy fora até o refugio dos caçadores e conhecera o novo príncipe rendendo-lhe as devidas homenagens, fora bem acolhida ali e o próprio príncipe lhe explicara as mudanças ocorridas.

Mas Lucy darkfury sabia que o lar é onde seu coração esta e certamente o seu encontrava ali em enraizado, enterrado profundamente.

Ah sim quem sou eu? A própria Lucy que lhes conta seu retorno
ao seu castelo agora situado numa Parte da França, mas seu Refugio era ali, uma caçadora das sombras, sim uma vampira, Camarilla ontem, hoje e sempre seguidora da máscara.

E sempre foi meu lar, meu refugio, mesmo que ande e passeie pelo mundo todo uma hora você saberá que terá de voltar para casa.


Malkavian



A Bela  Britânia  durante  uma primavera.

Momentos de Lucidez ...

Eu queria me lembrar de tudo quando eu era humana, mas aos poucos isso foi apagando e sumindo,da minha memória , me lembro de uma bela primavera  na  Britânia (sei que o Nome  agora  é outro),onde nos vestíamos com tecidos finos e resistente  eu usava em meus cabelos vermelhos uma bela tiara louro e flores  e os olhos verdes, já me faziam ser notada, acho que foi uma das ultimas datas que fiquei ao sol, que senti aquele calor gostoso em minha pele, hummmm sim eu lembro do sol e como se parece quando me alimento, quente e iluminado, acho que foi nesta época que recebi o abraço, dávamos festas em nosso castelo e eu observava os  soldados do meu Pai o Imperador ,de longe sempre muito tímida e arisca, mas um deles me chamava muito atenção, o Belo General estrategista  do reino, de olhos cor de prata, ainda guardo seu nome com carinho só para mim, eu achava a luz nos olhos dele completamente espetacular, e nesta mesma data eu comecei a entender e me acostumar com as minhas vozes,(sempre ouvi vozes desde pequenina),todas as festas  derivavam  de  uma vitória do exercito do meu pai sobre os saxões ,ele vinha e ficava a olhar-me , todo meu ser vibrava mas nunca......ousei chegar perto dele, até que ele me enviou flores e me pediu em compromisso aos meus pais, como fiquei feliz naquela data...
Adorava  ser cortejada pelo general, quando ele chegava das campanhas  junto com meu pai e nem  o fato dele só batalhar a noite  era notado pois traçava  estratégias perfeitas que conduziam a vitória, era um homem  altamente estimado por meu pai.
Sem contar que seu tamanho e seu corpo  forte me encantavam, com aquele andar felino e suave , o  maravilhoso sorriso sedutor.

Eu simplesmente quis ser o par dele e muitos foram os momentos de paixão ,amor e luxuria, eu aceitei a escolha que me ofereceu, por três vezes perguntou se eu queria ser como ele e dele e por três vezes eu aceitei e me entreguei de corpo alma e felicidade ...

Ficamos juntos por anos e anos, ele  era um guerreiro sem igual, mas após  a morte dos meus  pais, meus irmãos abdicaram ao trono e ficamos muitas datas no poder e eu adorava batalhar ao lado dele éramos perfeitos no amor e na guerra  e devido nossa condição não humana tivemos de desaparecer durante um  incêndio do castelo e partir  para uma nova vida e fizemos isso muitas e muitas vezes  até que num momento eu o perdi, caçados e coagidos, com medo de sofrer e me ver ser ferida ele se entregou a morte ,para que eu seguisse, pelas trevas, não tive escolha, mesmo chorando e sofrendo eu parti, tive de deixa-lo, jamais tinha visto o medo nos olhos dele e naquela noite eu vi, pois já estava para amanhecer, meu amado , me fez passar pelas grades do poço onde nos prenderam e me fez prometer que iria embora sem olhar para trás, fiz com dor e tristeza, trocamos varias juras de amor e até hoje  sinto seu toque suave em minha face ,ouço a sua risada e sinto seu perfume.

Depois daquela data nunca mais consegui controlar as "Vozes" e aos poucos a minha sanidade foi evaporando-se, deixando -me absorta em meu próprio mundo distorcido e confuso.

A Saudade sempre estará em mim, diria minha alma, mas ainda tenho duvidas se vampiros tem alma.
É certo que a saudade fica , mas como uma criatura da noite não pude me dar o luxo ou o descuido de chorar muito tempo ,tive de partir, e recomeçar, num outro lugar com outro nome e identidade, tive muitos romances ,mas aquele do meu passado ficou lá no fundo da minha existência,  a dor me consumiu de uma forma  que preferi  voltar  para casa, mas estive muito tempo  fora e o que eu achei foram  os meus  entes queridos  em seus  túmulos então tomei uma decisão , me recolhendo ao jazigo de minha família  humana, entrando num estado de topor, me afastei de tudo e todos, para renascer  agora  no século XX, no ano  1940...
Mas logo vieram guerras (descobri que os humanos gostam de guerras pois sempre estão atrás de uma nova contenta com seus semelhantes...)
A princípio  me senti meio perdida mas  no  nosso mundo tudo é fácil de organizar e  a minha herança de família  voltou as minhas mãos  mas não como  filha legitima de  um Imperador da Britânia e sim como uma descendente muito longínqua  ,mas isso não me incomoda, acho divertido me dizerem como sou  terrivelmente parecida com a jovem ruiva das pinturas de séculos atrás... as vezes fico tentada a  dizer  que sou eu  só pra ver o espanto nos semblantes mas  isso sempre me causa problemas depois ... e termina em refeições ,não acho justo dizerem que os vampiros são criaturas frias e pálidas, eu ainda conservo o tom dourado da minha pele, o tom de rubi sangue nos cabelos e nos lábios, como também o rosado da face ,apenas o que mudou foi o brilho dos meus olhos que tomaram uma tonalidade intensa de verde esmeralda e quando estou faminta ficam mais envolventes e sedutores, particularmente eu já não fico mais com pena quando caço, de primeiro eu me sentia horrível mas depois de tanto tempo já me divirto, e para mim humanos se tornaram realmente um rebanho.... de criaturas, indolentes ,cruéis e irracionais ,pôs sempre fico a observar e digo de uma ponta de poder a um deles e veremos um novo Hitler, ou coisa bem pior, ah segunda guerra, quase fui eliminada umas duas vezes, por trabalhar lado a lado com eles, mas me divertia como eles não entendiam que eu passava por ínfimos buracos e outras travessuras que eu aprontava, mas algo eu tenho de admitir, eles tem algo que me fazem admirar profundamente a espécie , os humanos ou “comida” como os chamo vulgarmente ,sabem lutar pela vida, quando mordo e sinto a vida fluir deles, observo como eles tentam manter a vida e dizemos que isso é manter sua alma, pois sempre paro antes e vejo o brilho sumindo dos olhos , algo escapa daquele ser é como mágica, ainda não tenho bem como explicar o que sinto naquele momento, mas para mim é uma libertação , uma explosão de vida e não morte como muitos acham e isso me deixa fascinada um dia eu aprendo o que é só sei que é simplesmente magnífico e nos vampiros não possuímos isso pôs já vi irmãos morrendo e nada como aquelas luzes erguendo-se no ar e explodindo.....

Depois que você vive alguns anos a mais como vampiro, observa que vivemos numa eterna caçada, e não são muitos que sobrevivem a ela....
Ninguém nunca suspeita de quanto e como somos perigosos, mas Tb quem nos conquista sabe que terá um eterno amante apaixonado, um defensor acima de qualquer lei pois somos eternos além da vida e da morte.
Conheci  a Grande Camarilla e me uni  a Ela descobrindo  que os  meus irmãos sobreviveram ao tempo como eu fiz , cada um encontrou a vida eterna de uma forma diferente e isso foi ótimo, pois não  me  sinto mais tão só...
 E durante  um momento de lucidez minha, adotei  uma  adolescente  do nobre clã dos Nosferatus, temos muito em comum e mesmo com momentos de pura demência  ela é a única que protejo de forma ciumenta.

Meu encontro com o grande Clã Malkaviano me faz, ser um pouco diferente dos outros irmãos de raça, tendo as minhas próprias escolhas e predileções e deixamos a incerteza que todos tem:

Os Malkavianos são mesmo Dementes ou são Sábios?

Não sei mas já quebrei o espelho há anos atrás.


Esta sou eu  a Lucy Darkfury.

A Fianna



Minha mãe era  uma humana  pura  que se perdeu de amores  por um Lupino ,não me lembro dos meus pais, pois  pelo que me contam , meu  pai morreu em batalha e minha mãe  perdeu a vida  durante  meu parto,pouco posso  dizer sobre isso,apenas que hoje  fico feliz  dela ter tanto amor   por mim  e ter me dado  a luz, fui levada  para  uma cidade  ao norte da França  ,em alguns  momentos  eu percebia o cheiro do medo  nas outras crianças,e a rejeição, dos adultos que me achavam  estranha e  misteriosa,as vezes sentia aflorar uma fúria, uma  ferocidade que quase ninguém  controlava e eu me  afastava de todos me escondia no  bosque e esperava aquilo passar mas não ficava consciente, após  algum tempo que não posso  dizer precisamente até  hoje  eu voltava  a mim , completamente  exausta e banhada em suor  gelado.
Não posso dizer que sou uma criatura tranquila, tenho sim momentos de muita meiguice  e carinho, mas como todo Fianna temos ,nasci sob  Lua de Galliard, amo festas e batalhas e como  é natural de todo garou da minha tribo tenho paixões avassaladoras, que me entrego com  todo fervor  que corre  em  meu sangue ,mas isso leva tempo e e um árduo trabalho de sedução até conseguir o que desejo,sigo o critério da matilha que um único par por  toda a vida, ainda não achei  mas  não me preocupo com isso  tenho outras  coisas  a me  preocupar .
Sempre fui uma criança  assolada por  sonhos e vontades  diferentes das  outras por volta  dos meus 10  anos   minha  avó  por parte de pai  me encontrou na  casa da minha tia onde vivia, e me    tirou dali sem muito esforço, viajamos ao sul das campinhas da Britânia , para uma tribo regida pelos Fianna, onde passei a viver  com outros  como  eu e com  lupinos e impuros  de primeiro eu tinha medo e achava estranho mas depois me acostei  e passei  ater  amizades  profundas que na  cidade humana eu  jamais consegui ter com criança nenhuma ,desde muito criança eu  sempre  fui voltada para artes, musica e escrita.La  aprendi a lutar e  aqui fazemos isso com a mesma   intensidade que nos apaixonamos, no começo  eu não entendi nada mas  fui aprendendo e  gostando.
Quando ocorreu  a primeira  mutação que chamamos  de Delírios, eu já estava  preparada para isto  e foi quando atingi a maturidade  da mulher,minha  avó  me levou até as campinas  afastadas de tudo e todos, um local sagrado que eu não conhecia o Caer  ,  ali eu  fiquei conhecendo toda  a historia  da  minha tribo e entender o que era mesmo e como era  e quando   ocorreu para mim foi algo  doloroso e amedrontador pois eu fiquei   consciente e aterrorizada, renasci no Augúrio da lua de Galliard  ou a Lua do Dançarino, eu era aquela criatura  muito maior  que um lobo comum,com uma pelagem vermelha como meus cabelos ,com olhos  verdes  e brilhantes,como na forma humana não sei  dizer o quanto corri e uivei  aquela  noite ,descobri  que o canto da minha tribo é o mais belo e melodioso, como as Litanias.
Meu  Ritual de Iniciação  foi uma prova de coragem força  determinação e sobrevivência  onde vários anciões , reunirão os filhotes  para  os testes e aprendemos toda  a litania Garou, por  ser  metade humana  para mim  o teste  foi terrível e doloroso mas sobrevive e  passei com honra e força, não deixando nada a desejar  aos meus irmãos de tribo.


Quando  cruzei aquele limiar da  minha vida foi  completamente  explicada, a minha avó contou tudo sobre mim, e passei  a fazer parte mesmo da tribo adorava  comecei  a   ocupar
meus  dias com jogos  de palavras, canções, bebidas e festas, como todo Fianna e ainda mais  sob o Augúrio  de Galliard, então totalmente apaixonada por  artes.
A fúria contida dentro de mim , nunca some ela apenas se abranda para voltar com o dobro da força e a violência em muitos  momentos eu  volto a razão banhada de sangue exausta  e nesses momentos  eu podia sentir  a fúria da besta e corria  pela  floresta  uivando  até me sentir tonta.
 Passei muito tempo aprendendo a controlar minhas  transformações e todos os Don que  vieram com ela, aprendi que minha  transformação não dependia do aparecer da lua apenas  de mim, e isso  foi  sendo completamente controlado e passei a amar  as festas que tinha na tribo onde eu cantava   as historias antigas.
Até  que minha  pequena  tribo  foi ataca ,  por invasores  vindos das trevas ,  batalhas sangrentas foram travadas, protegemos o nosso Caer com  bravura,mas  muitos pereceram  diante dos graves  ferimentos que   lhe foram causados, a besta dentro de mim estava  viva e descontrolada, e diante de toda aquela matança eu  mais  alguns  nos reunimos  para  uma caçada  aos  algozes de nossas famílias.
E a caçada começou foram dias noites e meses  não  houve descanso e quando nos  confrontamos  com os assassinos de nossa tribo,  uma luta  ainda mais sangrenta  aconteceu e  os dizimamos  sem pena.
Meus irmãos e parentes decidiram voltar para nossa aldeia e reconstrui-  lá ,mas eu tomei outro rumo   queria  conhecer  o  mundo e assim fiz...

Mas  em meu coração jamais deixou de ter espaço para  meus irmão e minha cria que arrumei  algum tempo depois...

Mas isso  já é outra parte de minha existência que conto outro dia .

Memórias

Memórias
Se algum dia tiver alguma historia a contar, pegue tinta,pena e papel,deixe sua alma falar através das folhas e após isso as jogue ao sabor do vento. Somente assim sua historia será lembrada por séculos ....