Companheiros

Lucy .. Tecnologia do Blogger.

Postagens populares

"Meu espírito dorme em algum lugar frio até que você o encontre e o leve de volta pra casa"
quinta-feira, 7 de agosto de 2014

O Hunter e a Elfa

Viagens.


Finalmente  o grupo de caçadores estava,relaxado dando espaço para a  equipe medica  do Comandante  Duran Merlin assumir  entre os mortos e feridos ,bravo guerreiro mas  seu real papel era em salvar a vida dos  seus companheiros de caçadas,usaria seus  poderes de cura e sabedoria para  salvar o Maximo de vidas que pudesse,ganhará essa  missão a os 15 anos quando perderá o pai,num encontro com um monstro disfarçado de humano que  lhe tirara a vida  e a alma , mas o Dom  havia passado pra o filho como uma  marca ,desde então  começa a caçar o mal nos mais ínfimos recantos do mundo tornando-se um Hunter.
Aquela noite  seu   grupo de combatentes havia  emboscado  um grupo de lycans e vampiros  que destruíam   mutuamente,para então  sucumbir nas balas e  espadas dos Huntes ,mas alguns haviam saído feridos dando  espaço para mais trabalho.
Particularmente aquela noite estava   opressiva,o clima pesado ,no QG, discutiam onde estava errado , em que parte a operação tinha sido mal calculada,para terem  feridos era simples chegar destruir  eles limpar o local e sair,mas havia 20  soldados feridos e isso fora imperdoável.
Há horas que o Comandante  trabalhava sem parar,seus olhos  já estavam cansados ,quando  finalmente terminou todos  aqueles curativos , a batalha fora intensa ,mas ele tinha  o Dom e tinha usado bastante.
Tirou as luvas e as jogou no lixo,rumando para os  alojamentos,onde banhou-se e vestiu-se era noite de sexta certamente o bar estaria lotado,iria beber um pouco se divertir e ir para casa,guardou a  45 no coldre e o punhal num  bolso  reservado na bota,pegando as chaves do jippe ,riu consigo mesmo, iria para o maior inferninho da cidade,repleto de monstros e humanos e belas humanas.certamente alguma nova ...
Estacionou o carro e desceu trancando no controle remoto.
-Boa noite Senhor.
Discretamente Duran levou a mão  ao coldre da arma ,mas retirou  ao ver que era um dos seus cadetes ali sorrindo.
 -Boa Noite Rapaz. Desejou indo pro bar.
Já estava na 5  cerveja gelada, quando seus olhos  pousaram numa bela mulher do outro lado do  recinto ,infinitamente bela e sensual,seus cabelos negros e longos, brilhavam balançando na cintura.
Ele levantou e foi  até ela.
-Posso lhe pagar uma bebida?
 -Sim claro.Ela respondeu sorrindo.
Ele fez um movimento com  a mão e a  garçonete trouxe a bebida.
Seus instintos estavam em alerta,mas seu faro para criaturas demoníacas ,não estava  ativo, tudo nela era puramente humano, o perfume, a voz , a textura da pele...
Tranqüilizou-se  ,tirando-a para dançar ,após a bebida.
Estavam a algum tempo trocando beijos e caricias dentro do jippe,quando o celular dele tocou  naquele tom que era  de emergência.
Duran olhou o aparelho  desolado.
-Não atende... Sussurrou ela  ardendo em desejo .
-Preciso...
Ele atendeu .
-Alo Senhor ,perdão  mas precisamos de ti
-Já vou . Desligou.
Olhou para a jovem nua  no banco de trás de seu jipe.
-Merda.Exclamou chutando o pneu do carro.
Voltou para o interior a moça montou sobre o seu colo beijando-o.
-Desculpe mas tenho de ir..
Ela o encarou – Como assim ?
- Simples eu preciso ir ...quer  que eu lhe deixe a onde ?
-Você esta brincando,vai me deixar assim?
-Linda eu também não gostei  de ter de sair assim,mas preciso ir,onde vc quer  que eu lhe deixe.
-Não precisa ,eu cretino.
Desceu do carro  irada.
-Isso não vai  ficar assim senhor Duran !
Ele nem mesmo,respondeu,dando a partida no carro .Mas o que deu errado aquela noite ?!

 Ao fazer a curva a bela mulher estava lá parada, Duran  tentou desviar o carro, que derrapou na pista e   capotou  3 vezes , seu  ultimo movimento  foi o de olhar seu relógio de pulso , eram 5: 39 da manha de sábado...

O  Comandante  Duran ergueu-se da relva maneando o cabeça dolorida,onde estava  o seu carro?
Olhou envolta  estava perdido ,num lugar estranho e nem mesmo sabia como havia chago ali, pegou o celular  sem sinal, o radio de emergência não funcionava ,nada nem a bússola do relógio parado.
Ficou mais tranqüilo ao perceber que estava  com o punhal na bota a pistola e uma adaga na cintura,nem mesmo dela lembrava,mas sua pergunta era onde estava ?!
Não conhecia aquele lugar,pelo menos estava inteiro,já que tinham roubado seu jipe,limpou a roupa e começou  uma longa caminhada.
Após horas sem rumo,parou  no meio de uma cidade, perdida na era medieval,seu instinto a todo momento disparava  teria de  controlar-se ou ficaria louco,bem se haviam monstros ali haviam  Hunters  também,era só buscar a Base deles .
Não houve  dificuldades  nesta parte ,para o Comandante  medico Duran Merlin , logo lhe explicaram que  aquela cidade  estava na época medieval ainda ...
 Muitos poucos  souberam de sua historia ,e aos poucos ele foi se acostumando ali, mas o que lhe aborrecia imensamente  era a falta de sua tecnologia .
Certo  dia,estava  numa incursão  pela floresta ,quando se viu só,havia se perdido da sua guarnição.
Seus instintos,se aguçaram, já os mantinha sob controle,então havia alguma criatura   por perto,o  curandeiro como lhe chamavam agora desembainhou suas duas Katanas ,ficando em alerta,rapidamente a outra presença,, aproximou-se sem fazer o mínimo barulho e  e num movimento,rápido e  e seguro, atacou a pequena figura de manto comprido e capuz, saltou esquivando-se, e gritou:
-Calma , sou de paz! Soou uma voz feminina.
- Quem é você ?! Diga!
-Calma,não vou atacar você pare de gritar... preciso de ajuda.
-Tire o capuz!
-Não!
-Anda Tire Logo!!!
-Não vou tirar, vamos  ficar nisso a noite toda  e aqui pode ser mais perigoso,para você que  para mim.
-Não confio em você monstro.
- Oh!!! Que abuso,não sou um monstro ,obrigada por nada,e tomará que você  seja comido.
Ele rui cinicamente  -Podem até tentar mas o azar é certo...
-Ta bom moço.Gemeu baixinho de dor.
-Vamos ver o que você tem...
-Eu me feri fugindo de um dragão...
-Lagartos malditos,olha já esta tarde, podemos acender uma fogueira e esperar clarear...
Mesmo desconfiada o ajudou a catar alguma lenha .
-Posso acender ?Pediu a jovem
-Você ainda não tirou o seu manto.
Ela arriou o capuz revelando enormes orelhas cobertas de percing
s e  brincos ,intensos cabelos vermelhos e olhos verdes como esmeraldas.
-Eu já vi coisas  como você menina.
-Não sou uma coisa e sim uma Elfa.
-Bah! Um monstro só isso.
-Você também é um monstro seu meio humano,ou acha que não conheço seu instinto...
-Já vi que vamos passar a noite brigando e esta frio...
-Espere  oras calma...
Ele ajoelhou-se enfrente ao fogo e com movimentos suaves  de mãos, acendeu...
-Você é bruxa! Zombou ele.
-Sou uma  Elfa de Luz,mas o que você faz aqui parece diferentes dos Caçadores que tem aqui,...
-Cai neste lugar...
Ela franziu o cenho...-Caiu  aqui? Assim do nada ?Começou a rir.
-Muito engraçado  orelhuda... Não sei como vim parar aqui, e você ?
- Fugi de casa e vim pra cá,mas você não caiu aqui algo ou alguém lhe fez atravessar a barreira do tempo...
-Não entendo nada disso.Lembrou de jovem de cabelos negros mas ficou quieto,observando a expressão de dor novamente na face da  Elfa.
-Deixe-me ver seu ferimento.
Ela tirou o manto e mostrou a ele o curativo ,com cuidado ele desfez e assoviou.
-Bela mordida em ... um dragão ?
-Sim ele achou que  finalmente iria me comer...não vai doer não é ? Você sabe o que vai fazer ?
-Sou médico ,ou curandeiro como chamam aqui.
A pequena  Elfa o deixou cuidar da ferida,para sua alegria quase sem dor,observava a habilidade  ,tranqüilidade , na segurança dele .
De repente o bater de asas, foi ouvido perto deles,a jovem olhou apavorada,pegou  o manto e se vestiu cobrindo o rosto com capuz.
-Ele voltou.Disse baixinho e tremula de medo.
 - Ele quem?!
Num piscar de olhos,havia um enorme dragão ,urrando a frente deles SUS olhos  focalizaram a pequena criatura de  manto e capuz.
-Achei você  pequeno doce.
A Elfa   puxou o arco e algumas flechas e se armou.
As gargalhadas do dragão ecoavam pela floresta- Isso não vai me  abater! Atacou  arremeçando-a  contra as arvores com uma patada.
Duran assistia  a  cena  meio atordoado,e  viu que logo a Elfa seria  devorada ,tinha que fazer algo.
-Mas eu vou deter você!
Desembainhou as Katanas  e saltou  sobre a criatura,travando uma batalha mortal,num grito abafado o enorme dragão, caiu abatido, sangue escorria da fronte do curandeiro,que respirava fundo,a pequena Elfa foi até  ele.
-Obrigada ...  você está  ferido...
-Estou bem...como você esta?
-Bem... Estava tremula e gelada.
Limpou a lâmina do sangue  fervente.
-Temos de sair daqui... logo estarão aqui...
-Pois deixe-os vir...
-Não! Eu  vou levar você pra outro lugar.
A pequena  Elfa, foi na sua mochila e pegou uma pedra  negra.
-Não quero  que nada lhe aconteça... eles são muitos e somos só dois.
-Logo a minha guarnição estará aqui...
-Humano teimoso.
Segurou a  mão dele e jogou a pedra no fogo.
Numa enorme explosão,Duran caiu na floresta de sua antiga  cidade,olhou pasmo para a  elfa.
-Eu vim pra casa...
-Fico feliz que acertei mas não é só isso.
Ele sentiu uma enorme dor  no braço e observou uma cicatriz ali.
-Você ganhou o poder de viajar no tempo agora.
-Como assim?!
-Eu é você pode viajar entre o passado e o  presente , o futuro vc faz ...
-Como você fez isso ?
-Eu tinha uma pedra de teletransporte,entre o passado e o presente ,acha que cheguei lá como ? eu renasci aqui...
-Mas e você ? Não vai mais viajar no tempo?
-Não preciso disso,não quero mais, já tive muito por ai,mas você tem uma missão, tem o Dom...precisa disso.
 Duran sorriu sacudindo a cabeça que sim.
-O que você vai fazer agora ?
-Voltar pra casa...Sorriu a Elfa.
-Estás bem?
- Sim estou obrigada por me proteger,você é mesmo diferente dos humanos que conheci,venha comigo, vou guiar você até a saída da floresta .
Pararam a entrada da  floresta.
- Daqui  você saberá ir...-
-Obrigado.
-De nada senhor caçador,agora é contigo,aprenda a ir e voltar é fácil para ti concentre-se e toque a marca.
-Você vai mesmo  ficar Bem ?
A jovem tirou um dos brincos de diamante  e deu a ele – Sim estarei, não se preocupe.
Beijou-lhe a face,e sumiu ao som de uma flauta.
-Como você fez isso ?! Perguntou ele alto.
-Simples!!! Eu viajo  num raio de sol...fique Bem senhor Caçador .
-Eu vou ficar...
-Olha eu volto pra buscar o brinco em ...
Ele começou a rir e saiu da floresta pegando  a trilha da cidade.
Ao olhar seu relógio  levou outro susto ao ver que marcava  5:30 da manha de Sábado.

O Retorno da Elfa

Minhas Lembranças:

Todos os dias a jovem Lucy Darkfury, saia cedo de sua moradia na bela floresta em que retornara a sua existência e sentava ao sol da manha ,para ser revigorada pela luz aconchegante,se espreguiçava longamente, sacudindo os cabelos de um vermelho intenso ,como sangue ,após esse ritual matinal ela pegava sua flauta e e corria até o velho carvalho a arvore mais alta da floresta e e sentava sem seus galhos, e ali passava hora tocando e imaginando o que havia lá fora além das arvores flores e sons do bosque...Ainda era muito jovem para que todas suas lembranças passadas estivessem de volta a sua memória .
Há muito já não comentava com os habitantes de sua aldeia, seus sonhos de correr o mundo , de ter novos conhecimentos,então decidira-se a aprender a se defender e passará a treinar sempre com a bela adaga que ganharam num dos seus ciclos para a vida adulta ,mas mesmo assim estava triste e abalada querendo conhecer o mundo e assim foi feito.
Mesmo sabendo quê seu Rei não aprovava suas andanças pelo mundo sozinha mas arrumou seu alforje de previsões e partiu sem dizer adeus a ninguém de sua aldeia. Ao chegar na entrada da floresta temeu se perder na vastidão do mundo lá fora e colheu uma gota de orvalho,uma pedra e uma flor guardando tudo em sua algibeira pois sabia que com esses 3 elementos ela saberia voltar para casa, a principio sempre protegida pela capa e o capuz negro temendo que outras criaturas fosse agressivas consigo ,mas descobriu uma imensidão de tribos ,seres e costumes diferentes,conheceu amigos e mores ,inimigos e desafetos.
A cada dia era uma nova lição,novos aprendizados, aprenderá a lutar e cavalgar, e de sempre arredia e arisca, se tornara doce e meiga, via-se ali sempre entre as criaturas da noite como os vampiros e do dia os Lycans e Dragões , de primeiro passava muito tempo escondendo suas orelhas sob o capuz do manto negro, mas até isso passou a ser natural estar sem ele e andava tranquilamente por todo lado.
Mas nem tudo era fácil e belo,pois sua raça era guerreira e não engolia desaforos , o chamado da floresta era forte em suas veias, teve duelos e combates, ferindo e ferida, até que um dia o amor bateu a sua porta ,mesmo com medo ,ela aceitou e passou a viver mais aquela experiência que lhe era mostrada,as vezes lembranças fortes de casa vinham a sua mente ,mas então outra aventura ocorria e mais uma vez a volta pro lar era adiada.
E aos poucos perdendo o medo de ser tocada entregou-se ao amor de corpo e alma, e num belo dia ,percebe que em seu ventre trazia uma nova vida, foi com o maior espanto que teve essa certeza trazia uma dentro se uma cria do seu par, correu até ele e lhe disse tudo e ele também ficará feliz e honrado e ambos passaram a cuidar um do outro...
Estava bela e viçosa de alegria, seus cabelos rubros reluziam sem igual seus olhos verdes esmeralda brilhavam apaixonados e sua pele bronzeada parecia um pêssego aveludado,passava seus dias assim amando e era amada cuidando da cria em seu ventre.
Até durante uma grande tempestade, a jovem Elfa da Floresta,e abandonada, e fica alis em compreender, o que estava se passando, seu par já não era mais dela havia sumido,deixando-a sozinha com a cria em seu ventre.
E num ato de puro desespero a jovem Elfa entrega-se a Dama Negra,e espera seu fim chegar, sabendo que nem mesmo ferida morreria só iria desencarnar então deixou a grande tristeza invadir seu ser ,já não tinha mais desejo de nada queria apenas que seus fins chegassem logo numa tristeza profunda e solidão sem fim,a dor já aparecia na sua pele sem o viçoso brilho, nos cabelos opacos e os olhos sem vida e entra em traze o corpo cansado frágil e debilitado repousara, ao retornar de seu descanso, descobre a Grande Mãe levara a cria que estava em seu ventre, as lagrimas de dor quase enloqueceram a jovem Elfa, de repente uma voz doce lhe acalma e mesmo sem saber de onde vem lhe explica:
“- Não chore mais filha das florestas foi para o seu bem ,assim você poderia recomeçar...”.
Lucy , respira fundo e se ergue da relva perfumada e macia , uma nova criatura, mais sábia, madura e experiente...
Conheceram quase tudo de bom e ruim do mundo, fizera bons amigos por toda parte,mas era o momento que todo Elfo conhece o lar chama de volta,mesmo ferida,quieta mais observadora de antes e arredia decide voltar para casa.
Veste sua melhor roupa,e pega peque algibeira com seus tesouros de casa e e a vira em sua mão em concha e e recita um antigo e secreto encantado que num piscar de olhos viajando no raio de sol de vê a entrada da floresta,não contem as lágrimas estava em casa apos tantos dias longe...
E fica ali o dia todo, sem saber se entrava ou não e seu ser se agita pois o Rei dos Elfos estava presente e reunindo toda coragem do seu ser vai até ele e e cai de joelhos a sua frente.
-Senhor perdoe-me, fugi para conhecer o mundo lá fora ,mas estou aqui de volta... meu lar me chamou e eu não me neguei a atender.
Extremante generoso e carinhoso ele sorrir:
“-Seja bem vinda Lucy nossa Elfinha fujona”
Lucy sorri aliviada, seca suas lagrimas,olhando sua raça,rostos novos e velhos ,sorrindo vindo recebe-la de braços abertos , a dor fora tanta que sabia ter perdido algumas memórias e teria de aprender tudo de novo,mas já não importava o que a deixava viva e bela novamente era saber e ouvir:
A boa filha a floresta retorna.


Memórias

Memórias
Se algum dia tiver alguma historia a contar, pegue tinta,pena e papel,deixe sua alma falar através das folhas e após isso as jogue ao sabor do vento. Somente assim sua historia será lembrada por séculos ....